capa site flink 2

  • 06
  • 05
  • 02
  • 03
  • 04
  • 01

Festival FlinkSampa levou o melhor da literatura e cultura negra ao Memorial da América Latina em dois dias de evento

Com feira e lançamento de livros, mesas literárias, espaço gastronômico e até desfile de moda, a 4ª FlinkSampa colocou em debate questões relacionadas à igualdade racial

Há séculosa comunidade negra, em praticamente todo o mundo, vem travando lutas em favor da liberdade e igualdade. No Brasil, não é diferente. Em um país de maioria negra onde o preconceito e a violência persistem, ganha ainda mais força e importância a realização de um evento como a FlinkSampa- Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra, cujaquarta edição aconteceunos dias 18 e 19 de novembro, no Memorial da América Latina e nos Campi da UNINOVE e da Universidade Zumbi dos Palmares, em São Paulo, com programação gratuita.

 A partir do lema "Eu quero liberdade", foram realizados debates literários e sociais, mostras de cinema, palestras, desfiles de moda e outras atividades culturais, focandosempre em questões relacionadas aos direitos dos negros e a favor do fim do panorama de exclusão ainda persistente.O homenageado desta edição foi o advogado e abolicionistaLuiz Gama (1830- 1882), referência na luta pela igualdade e exemplo de persistência na busca de uma formação educacional e de obstinação em defesa de seus ideais e luta pela liberdade.

A abertura oficial da FlinkSampa 2016 aconteceu no dia 17 de novembro, na Secretaria de Pessoas com Deficiência do Estado de São Paulo, que ocupa um espaço dentro doMemorial da América Latina. Na solenidade de abertura, formaram a mesa oficial o Reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente; a presidente da FlinkSampa, Francisca Rodrigues; o presidente do Memorial da América Latina, João Batista Andrade; a deputada da República da Angola e presidente da Fundação Presidente Agostinho Neto, Irene Neto; o diretor de Redação da Folha de São Paulo, Otávio Frias Filho; o secretário Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Marco Antônio Pellegrini, e o primeiro bispo negro do estado de São Paulo, dom Eduardo Vieira dos Santos. O mestre de cerimônia da noite foi o atleta Robson Caetano, que anunciou também a vencedora do 1º Prêmio Flink de Literatura do Jovem Negro,Larissa C. Montag.

(Confira a lista completa dos vencedores aqui: http://www.flinksampa.com.br/index.php/lit/premio-flink-de-literatura/obras-e-ganhadores)

DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO 

18 de novembro

Um dos destaques da programação do dia 18, primeiro dia de evento,foi a mesa literária “Reinventar a História: a desconstrução do senso comum sobre o racismo”, que contou com a participação dos escritores Paulo Lins e Ferrez e ocupou a Biblioteca do Memorial da América Latina. Também dentro da programação de literatura do mesmo dia, foram divulgados os vencedores do Afrominuto, concurso que premiou vídeos de até 1 minuto enviados por alunos de escolas públicas de São Paulo. (Confirma a lista dos vencedores aqui: http://www.flinksampa.com.br/index.php/afrominuto/confira-os-ganhadores).

Ainda no dia 18, o Campus da Uninove recebeu as 13 mesas da V Conferência Internacional de Educação, Conhecimento, Diversidade e Ações Afirmativas, que teve como tema o lema da FlinkSampa 2016: “Eu quero Liberdade”.Uma das mesas de maior sucesso do dia foi a que discutiu “Liberdade de Expressão e Liberdade de Imprensa: limite entre o que pode e o que deve ser dito na mídia”, com palestrantes como o Redator-Chefe da Revista Carta Capital, Sérgio Lírio e Luis Fernando Bovo, Editor Executivo de Conteúdos Digitais do jornal O Estado de S. Paulo.

Também no Campus da Uninove, durante o primeiro dia de evento, aconteceu a Mostra de Cinema e Audiovisual da FlinkSampa, que promoveu debates e exibiu curta-metragens, webséries e programas do acervo da TV Cultura, todos com foco na cultura negra e em questões relevantes para a comunidade afrobrasileira. Destaque para a sessão comentada do longa Menino 23, com a presença dos realizadores.

A programação do Espaço de Empoderamento da Mulher Negra aconteceu nos dos dias de evento, mas no dia 18, o bate-papo com a Miss São Paulo 2016, Sabrina de Paiva e a primeira Miss Brasil negra - que recebeu o prêmio há 30 anos – Deise Nunes, fez sucesso entre o público que frequentou o lugar.

Encerrado as atividades do primeiro dia, o ato Black Lives Matter Too Brazil emocionou a plateia que esteve presente no auditório da Uninove. O objetivo do movimento, criado nos EUA em 2014, é manifestar contra a violência sofrida pela comunidade negra, principalmentejovens.

19 de novembro

No segundo dia de FlikSampa, duas mesas literárias, em especial, se destacaram frente ao público: a que tratou do tema “Agostinho Neto e a Liberdade”, com a presença da presidente da Fundação Agostinho Neto, a angolana Irene Neto; e a mesa que debateu os “Gêneros Híbridos: O Romance, a crônica, o conto e a poesia”, com mediação de Manto Costa e presença dos escritores Henrique Rodrigues, Salgado Maranhão e o francêsJean-Paul Delfino.

Já no Espaço de Empoderamento da Mulher Negra, o desfile de moda afro foi o sucesso do dia, atraindo um grande público para a passarela montada na parte externa do Salão de Atos, no Memorial da América Latina. O bate-papo sobre a moda plussize: quebrando paradigmas e afirmando beleza e o encontro que debateu amídia negra online também atraíram várias mulheres interessadas em discutir e refletir sobre os padrões de beleza atuais e fortalecimento da voz feminina. 

No dia 19 teve ainda o Fórum Liberdade do corpo: autonomia e interdição, que ocupou o Anfiteatro da Faculdade Zumbi dos Palmares. Foramdebatidos temas referentes ao universo LGBT e às semelhanças que unem a realidade de luta desses movimentos a favor da igualdade de gênero com os de luta contra o racismo. Nomes como Fernando Quaresma, presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo e Augusto Oliveira, representante da UNE e Presidente da Cadeira LGBT farão parte do debate.

Durante os dois dias de evento, o público pode conferir ainda as atrações d aFlinkinha, com programação especial focada no público infanto juvenil, incluindo contação de histórias, troca de livros e intervenções de palhaço e malabarista; Feira Gastronômica, com pratos inspirados na cultura e culinária africana; e Feira Literária, com a presença de diferentes editoras e autores de vários lugares do mundo.

VOLTAR

                    Memorial

Copyright © 2016 FLINK SAMPA Afroétnica - Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra
How to get Coral Bonus full info